Domingo, 30 de Dezembro de 2007
Romagnoli nega haver uma ditadura instalada em Alvalade.

 



Romagnoli regressou este domingo a Portugal, após umas curtas férias na Argentina, e refutou haver uma qualquer ditadura instalada no Sporting. O médio reagia assim às acusações levantadas, alguns dias antes, por Liedson desde o Brasil.

«Não creio que haja uma ditadura como ele disse. Mas cada um tem direito à sua opinião e pode dizer o que quiser», referiu Romagnoli que, quando instado a comentar se as regras do Sporting são demasiado rígidas, reagiu com diplomacia: «São as que o Sporting tem e os jogadores devem obedecer. Não me parece que sejam demasiado duras», respondeu, antes de elogiar o comportamento profissional de Liedson.

«O que ele fala ou não fala, não sei. É um bom jogador e, como tal, faz sempre falta em qualquer equipa», declarou, aceitando depois recordar o episódio da recusa do brasileiro marcar grandes penalidades num treino: «Não foi nada de grave. Ele estava um pouco lesionado, creio que numa perna».

Relativamente aos objectivos desportivos para 2008, Romagnoli pretende «dar tudo dentro do campo», na tentativa do Sporting «tentar encurtar a distância» para o bicampeão F.C. Porto: «Estamos a dois pontos do Benfica e a nove do F.C. Porto. Oxalá esta segunda volta seja melhor do que a primeira. Acredito que ainda possa dar para o Sporting ser campeão. Mas o F.C. Porto está muito bem», reconheceu.

In
: Maisfutebol


publicado por Filipa às 22:03
link do post | comentar | favorito