Sexta-feira, 3 de Outubro de 2008
Sporting conquista os primeiros 3 pontos na Liga dos Campeões.

 

CRÓNICA:

O Sporting venceu o Basileia por 2-0, no jogo da segunda jornada da Liga dos Campeões, com golos apontados por Romagnoli e Derlei. A vitória dos «leões» só pecou por escassa, já que os pupilos de Paulo Bento dispuseram de boas ocasiões para saírem de Alvalade com um resultado mais dilatado.
O Sporting iniciou a partida apenas com uma alteração no onze que entrou no derby do passado fim-de-semana – Derlei ocupou o lugar de Yannick Djaló.

Os «leões» mostraram vontade e determinação em resolverem cedo a partida, mas as ocasiões criadas não tiveram a melhor finalização. Logo a abrir Derlei, que viu o poste da baliza adversária negar-lhe o golo por duas vezes, cabeceou ao lado, dando o primeiro sinal de perigo para a baliza defendida por Costanzo. O Basileia, ao contrário do Sporting, actuou recuado no terreno, com muitos jogadores a disputarem a bola no meio-campo, enquanto que os «leões» tentavam imprimir velocidade no jogo de forma a conseguirem surpreender a baliza contrária. Já mesmo em cima do final da primeira parte, Derlei viu Costanzo a negar-lhe o golo, depois de rematar à meia volta o guarda-redes do Basileia defendeu por instinto para canto.

No segundo tempo, já com Vukcevic em campo (entrou ao intervalo para o lugar do lesionado Rochemback), o Sporting conseguiu impor o ritmo de jogo que pretendia e desde cedo se começou a adivinhar o golo. Os «leões» fizeram uma boa circulação de bola e tiveram a paciência e o engenho necessários para conseguirem furar a barreira defensiva adversária. Depois de Derlei aos 48 minutos ter visto o poste negar-lhe o golo, Romagnoli, sete minutos depois, não desperdiçou e fez o primeiro da partida. Os «leões» com o primeiro tento tiveram ainda mais tranquilidade e controlaram o jogo, deixando que o adversário chegasse apenas por duas vezes com perigo à baliza de Rui Patrício, que aos 66 minutos, com boa defesa aliviou para canto um livre directo apontado por Gjasula.

O Sporting continuou à procura do tento da tranquilidade, que poderia ter surgido dos pés de João Moutinho – através da marcação de um livre directo, em posição frontal à baliza adversária –, Derlei, que voltou a cabecear à trave, e por Abel, que rematou ao lado, quando estava em posição frontal à baliza. O esforço dos pupilos de Paulo Bento foi recompensado quando faltavam quatro minutos para o final. Romagnoli lançou Derlei no ataque dos «leões». O «ninja», na cara do guarda-redes adversário, não falhou e marcou o segundo tento, dando mais justiça ao resultado.

Fruto da vitória do Barcelona, o Sporting está no segundo lugar do grupo, em igualdade pontual com o Shakhtar. Vitória justa do Sporting, que só pecou por escassa, num jogo em que os jogadores mostraram raça e determinação.

 

In: Sporting.pt



FICHA DE JOGO:
Sporting: Rui Patrício, Abel, Tonel, Polga, Grimi, Miguel Veloso, Rochemback (Vukcevic, 45 m), Moutinho, Romagnoli (Pereirinha, 88 m), Postiga (Yannick, 72 m) e Derlei.
Treinador: Paulo Bento.
Suplentes não utilizados: Tiago, Daniel Carriço, Pedro Silva e Liedson.
Disciplina: Cartão amarelo a Grimi (17 m), Miguel Veloso (45 m) e Tonel (84 m).
Golos: Romagnoli (55 m) e Derlei (86 m).

Basileia: Costanzo, Zanni, Abraham, Ferati, Safari, Huggel, Gelabert (Ergic, 60 m), Gjasula, Carlitos, Chipperfield (Perovic, 82 m) e Streller (Mustafi, 78 m).
Treinador: Christian Gross.
Suplentes não utilizados: Stöckli, Morganella, Eduardo e Rúbio.
Disciplina: Cartão amarelo a Streller (74 m).

Golos: Nada a assinalar.

 

 AVALIAÇÕES À PRESTAÇÃO DE ROMAGNOLI:

 


 

• "Esteve nos dois lances que fizeram o resultado, logo foi ele, na prática, a tornar-se decisivo na vitória. O argentino, jogando a partir do vértice central mais adiantado, confunde facilmente os defesas com as constantes movimentações à esquerda e à direita. É ele, também, quem melhor interpreta, a par de Moutinho, a ideia de movimento constante, por forma a fugir às marcações e, simultaneamente, criar espaços de penetração aos laterais leoninos.O passe de morte para Derlei foi fantástico. E pôs um ponto final nos nervos dos adeptos.

Apareceu à hora certa, como um relógio suiço, a empurrar a bola para a frente até ao golo. Já no final, executou um passe para Derlei que rasgou a defesa alpina e resultou no 2-0. Opôs-se à neutralidade do rival."  - Eleito "O homem do jogo" in Record

• "A presença e a influência do médio argentino podem não ser constantes, mas a verdade é que continua a ser o leão mais capaz de provocar rupturas e desequilíbros nos últimos 30 metros, ficando ligado aos principais lances ofensivos da equipa. É sua a insistência que resulta no primeiro e decisivo golo (55'), como também a assistência para o tento da tranquilidade (86'), concretizado por Derlei."  - in O Jogo

• "Romagnoli, golos de sorte e a fazer a diferença: Curioso o facto de o Sporting ter feito dois golos com alguma sorte, mas Romagnoli mereceu-os. Trabalhou muito no preenchimento dos espaços e na ligação entre o meio-campo e o ataque. Fez uma grande segunda parte e, se é verdade que marcou um golo de sorte, noutros lances demonstrou grande visão de jogo e qualidade de passe, como se viu no lance em que isolou Derlei no segundo golo. É um jogador que decide, e é óbvio que as decisões que toma não podem ser todas boas. Um minuto antes, tinha feito um remate sem nexo, exactamente porque arriscou, mas isso não o impediu de fazer um grande passe logo a seguir. São esses os jogadores que fazem a diferença."  - in "a Análise de João Vieira Pinto",  O Jogo


• "Nascer artista faz toda a diferença: A par de Derlei foi um dos homens do jogo, sobretudo ao nível da criatividade. Cedo se percebeu que colorir um jogo que estava tão cinzento teria de passar pelos pés do argentino. E, assim, a festa de cores começou ao minuto 9 - grande sprint, grande cruzamento -, continuou num porte remate (58') ao lado e culminou no fantástico passe para o 2-0."  - In A Bola



publicado por Filipa às 11:04
link do post | comentar | favorito