Domingo, 17 de Agosto de 2008
SUPERTAÇA - É nossa!

 

CRÓNICA:

Os «leões» alcançaram o quarto troféu em duas épocas, desta feita também frente ao FC Porto, o adversário que os pupilos de Paulo Bento derrotaram por três vezes nas quatro vitórias alcançadas – duas Supertaças e duas Taças de Portugal.

Numa noite em que o técnico «verde e branco» utilizou apenas dois reforços – Caneira e Rochemback – no onze, o Sporting entrou bem na partida, sendo dono e senhor dos primeiros 10 minutos do encontro. O FC Porto, a partir dessa altura, conseguiu equilibrar, fazendo com o que o jogo fosse disputado com bom ritmo, com bons momentos de futebol e com ambas as equipas a criarem ocasiões para chegarem ao golo. Foi dos pés de Rochemback que surgiu a primeira ocasião de perigo para a baliza defendida por Helton, através da marcação de um livre directo que passou ligeiramente ao lado. O FC Porto respondeu, com Lucho a rematar contra o poste esquerdo da baliza de Rui Patrício. Os «leões» mostraram-se mais esclarecidos nas transições e aos 45 minutos viram o seu esforço recompensado com o primeiro golo a ser apontado por Yannick Djaló. O avançado «verde e branco» foi «servido» por Romagnoli e não se fez rogado, marcando o primeiro da partida.

A segunda parte terminou como começou, ou seja, com Yannick a ter oportunidade para aumentar a vantagem, mas isolado frente a Helton permitiu a intervenção do guardião «azul e branco». Mas, os adeptos do Sporting que estiveram no Estádio do Algarve não tiveram que esperar muito para verem o tento da tranquilidade. Aos 57 minutos, Yannick bisou. Izmailov fez o passe para o avançado «leonino», Sapunaru tentou o corte, a bola ficou na posse de Yannick, que não perdoou e fechou marcador.

Se o FC Porto até ao segundo golo sofrido e, sobretudo na segunda parte, tinha mostrado poucos argumentos para concretizar as oportunidades criadas, pior ficou quando aos 71 minutos viu Rui Patrício a defender uma grande penalidade apontada por Lucho. A partir desse momento só deu Sporting e Yannick ainda poderia ter chegado ao terceiro tento, mas a trave da baliza do FC Porto negou o terceiro dos «leões».

Vitória justa do Sporting, que inicia da melhor forma a época 2008/09, somando mais um troféu ao seu palmarés.

 

In: Sporting.pt


FICHA DE JOGO:
FC Porto: Helton, Sapunaru, Pedro Emanuel, Bruno Alves, Benítez, Guarín (Candeias, 69 m), Lucho González, Raul Meireles, Lisandro, Farías (Hulk, 55 m) e Rodríguez.
Treinador: Jesualdo Ferreira.
Suplentes não utilizados: Nuno, Fucile, Rolando, Tomás Costa e Fernando.
Disciplina: Cartão amarelo a Benítez (28 m), Lucho González (90') e a Rodríguez (91 m).

Golos: Nada a assinalar.

Sporting:  Rui Patrício, Abel, Tonel, Polga, Caneira, João Moutinho, Rochemback, Izmailov, Romagnoli (Miguel Veloso, 67 m), Derlei (Postiga, 81 m) e Yannick Djaló (Pereirinha, 90 m).
Treinador: Paulo Bento.
Suplentes não utilizados: Tiago, Grimi, Adrien e Tiuí.
Disciplina: Cartão amarelo a Polga (10 m), Caneira (71 m) e Miguel Veloso (91 m).
Golos: Yannick Djaló (45 e 57 m).

 

 

AVALIAÇÕES À PRESTAÇÃO DE ROMAGNOLI:

 

 

 

• "À semelhança de Izmailov, teve uma boa primeira meia hora, assumindo acções de risco pela direita e tirando partido de algum apoio de Abel. É um "10" um pouco macio e por isso nem sempre desequilibrador, mas soube insistir na jogada de que nasce o primeiro golo, ao servir Yannick na área azul e branca. Esteve mais discreto na segunda parte, mas manteve sempre bons índices de aproveitamento nas jogadas construídas em parceria com Izmailov e Rochemback, até ser rendido." - in Record

 

• "Só a partir do quarto de hora trouxe mais velocidade e imaginação ao sector ofensivo e foi sua a assistência para o golo de Djaló, quando na verdade queria soltar para Izmailov, mas Benítez "colaborou". Saiu aos 68', após um desempenho satisfatório."  - in O Jogo

 

• "Talento de ourives e sangue fervente num estilo ousado e que geralmente transmite a confiança necessária para se criarem as condições decisivas para se ganhar. Esteve ligado à maioria das jogadas de perigo do Sporting, esteve no golo que criou as primeiras fracturas na carne do dragão, e a sua influência em fases de jogo disperso foi marcante, somando irriquietude, inspiração e decisão em doses impróprias de «pré-época»." - In A Bola

 

 

A FESTA:

 

 

 

PARABÉNS, SPORTING!



publicado por Filipa às 19:25
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De micaela a 21 de Agosto de 2008 às 20:43
sou benfiquista mas entre o sporting e o porto, preferia que o sporting ganhasse. Foi um justo vencedor mereceu ganhar


Comentar post