Segunda-feira, 5 de Maio de 2008
Já cheira a milhões!



CRÓNICA:

O Sporting conseguiu três preciosos pontos na deslocação à Mata Real, ficando a apenas um empate de distãncia da qualificação directa para a Liga dos Campeões. Yannick Djaló (34 m) marcou o golo solitário.

Não foi um jogo bonito, mas a extrema necessidade de ambos os conjuntos em conseguir os pontos para concretizar os seus objectivos levaram a que todos os jogadores lutassem por todas as bolas, ofereceram intensidade, nervosismo e incerteza no resultado até ao apito final de Bruno Paixão.

Frente ao 4x3x3 pacense, Paulo Bento apostou no habitual 4x4x2 losango, com Vukcevic e Yannick Djaló na frente, cabendo aos «leões» a melhor entrada em campo, com Yannick (3 m) e Romagnoli (11 m) a estarem perto do golo. O Paços reagiu de imediato, respondendo com duas claras oportunidades, por Edson (22 m) – num corte de tonel sobre a linha – e um remate à barra, por Cristiano (29 m), até que Yannick Djaló, aos 34 minutos, «decidiu o encontro», na sequência de um livre transformado por Miguel Veloso, que Vukcevic desviou, de cabeça, para o remate certeiro do avançado «leonino».

Na segunda parte, a ordem foi para resistir às investidas de uma equipa a lutar pela manutenção e que rondou a baliza de Rui Patrício, mas sem dispor de uma clara ocasião para empatar, à excepção do cabeceamento de Kiko, aos 49 minutos, que passou muito perto do poste «verde e branco».

Os minutos foram passando, com ritmo baixo – foram assinaladas mais de 40 faltas – com Vukcevic, numa das raras ocasiões em que o Sporting conseguiu sair em contra-ataque, a ver (67 m) a sua assistência para golo ser cortada por Kiko, que quase traía, com esta acção, o seu guarda-redes Peçanha.

Com os empates de Benfica, na Amadora, e do Guimarães, em Belém, o Sporting fica a um empate de – na recepção ao Boavista – assegurar o segundo lugar e a qualificação directa para a próxima edição da Liga dos Campeões.


In: Sporting.pt


FICHA DE JOGO:
Paços de Ferreira: Peçanha, Mangualde (Fernando Pilar, 61 m), Kiko, Rovérsio e Chico Silva; Dedé, Filipe Anunciação (Carlos Carneiro, 81 m), Pedrinha; Cristiano, Edson (Fábio Paim, 72 m) e William.
Treinador: José Mota.
Suplentes não utilizados: Coelho, Ricardinho, Ferreira e Tiago Valente.
Disciplina: cartões amarelos a Mangualde (23 m), Chico Silva (31 m), Rovérsio (41 m) e Fábio Paim (88 m).
Golos: Nada a assinalar.

Sporting: Rui Patrício, Abel, Tonel, Anderson Polga e Leandro Grimi; Miguel Veloso, Marat Izmailov (Farnerud, 90 + 1 m), João Moutinho, Leandro Romagnoli (Bruno Pereirinha, 74 m); Yannick Djaló e Simon Vukcevic (Gladstone, 83 m).
Treinador: Paulo Bento.
Suplentes não utilizados: Tiago, Adrien Silva, Ronny e Milan Purovic.
Disciplina: cartões amarelos a Polga (8 m), Vukcevic (54 m), Romagnoli (70 m), Tonel (77 m) e Miguel Veloso (83 m).
Golo: Yannick Djaló (34 m)



AVALIAÇÕES À PRESTAÇÃO DE ROMAGNOLI:

 

• "Escapa pelo contributo que deu na melhor fase leonina, confundindo Dedé e ajudando a criar espaços na dianteira. Foi perdendo gás até ser substituído." -  in Record.

• "Esteve perto do golo (12'), com um remate em arco, de pé esquerdo, que Peçanha defendeu com dificuldade. Sentiu sempre o "peso" de Dedé na sua zona de acção, mas não se resignou e foi importante na missão de garantir maior posse de bola." - in O Jogo

• "Tem um jeito bem especial para tratar o couro, de artista quase, mas há qualquer coisa nele, possivelmente aquela maneira de fazer quase tudo a dez à hora, que chega a ser terrivelmente irritante" - in A Bola


DECLARAÇÕES NO FINAL DO JOGO:



Romagnoli congratulou-se com o triunfo na Mata Real e com o facto de o Sporting ter ficado mais perto (basta um empate na última jornada) de garantir o apuramento directo para a Liga dos Campeões. No final da partida frente ao Paços de Ferreira o internacional argentino mostrou-se satisfeito por a equipa ter somado os três pontos, contrariamente ao que sucedeu aos rivais directos.

Fizemos o nosso trabalho e isso foi o mais importante. Tínhamos de ganhar! No final, soubemos que o Benfica e o V. Guimarães tinham empatado e ficámos contentes com isso”, salientou o médio, dando depois a receita para o confronto da derradeira jornada frente ao Boavista. “As coisas ainda não estão decididas; se perdermos o último jogo corremos o risco de ser ultrapassados. O empate é suficiente, mas é essencial ganhar”, avisou.

Romagnoli não nega, por outro lado, que o acesso à Liga dos Campeões poderá ser uma compensação pela época irregular que os leões acabaram por realizar. “De início, o objectivo passava pela conquista do título e é um facto que fizemos um campeonato irregular. Agora, resta-nos a luta pela segunda posição e tudo faremos para que o Sporting vá à Liga dos Campeões.

In: Record


publicado por Filipa às 21:21
link do post | comentar | favorito