Sexta-feira, 11 de Abril de 2008
Sporting diz adeus ao sonho da UEFA.


CRÓNICA
:
O Sporting foi afastado da Taça UEFA com uma derrota em Alvalade diante do Glasgow Rangers.Era preciso paciência e frieza para eliminar o vice-campeão escocês, mas o Sporting acabou por ficar refém de si próprio na eliminatória, depois do golo do francês Darcheville.

Na estrutura «leonina», Gladstone foi o escolhido para fazer dupla com Tonel, enquanto no ataque, Simon Vukcevic voltou a ser o companheiro de Liedson. O Rangers, veio a Alvalade sem o central Weir – tal como o Sporting que não pode contar com Polga – mas não abdicou dos cinco elementos de meio campo, privilegiando a contenção e abdicando do futebol directo.

A formação de Walter Smith pegou na arma dos «leões», a posse de bola, obrigando o Sporting a correr atrás do esférico desde muito cedo. Depois de alguma precipitação na construção ofensiva – sem criar situações de rotura na defensiva contrária – os «leões» lá conseguiram imprimir mais velocidade no encontro. Darcheville ainda assustou, mas, aos poucos, e com maior pressão sobre a bola, o Sporting serenou o jogo e dispôs da primeira grande oportunidade para se adiantar na eliminatória. Liedson “acertou” no poste da baliza de McGregor, na sequência de um livre directo, gorando-se aí a melhor ocasião do primeiro tempo. O flanco esquerdo dos «leões» era o mais produtivo – com Grimi a assumir-se nos lançamentos para as costas da defesa escocesa – enervando o Rangers com maior disponibilidade nas bolas divididas. Moutinho e Vukcevic ameaçaram com dois remates cruzados, num sinal inequívoco da superioridade «leonina» a fechar a etapa inicial.

O Sporting entrou para a segunda parte transfigurado para melhor, acentuando a pressão sobre a defesa escocesa, mas viria a deitar tudo a perder num erro, que precipitou um contra-ataque rapidíssimo finalizado por Darcheville.

Com meia hora para jogar, Paulo Bento colocou Djaló (Izmailov) em campo, arriscando tudo com as entradas de Pereirinha (Gladstone) e Tiuí (Grimi). Contudo, o Rangers, muito confiante depois do golo, fechou-se na retaguarda, deixando o Sporting com uma tarefa “gigantesca” para inverter o resultado. Refém de si próprio, o «leão» ainda tentou reagir, mas a sorte nunca esteve do lado da formação de Paulo Bento. O Sporting porfiou e teve chances para igualar (as melhores criadas por Djaló e Tonel), só que ao «leão» faltou sempre maior discernimento para poder sonhar mais alto. No último minuto, Whittaker acentuou ainda mais a derrota do Sporting, com uma cavalgada que só parou no fundo das redes da baliza. 


In: Sporting.pt


FICHA DE JOGO:
Sporting: Rui Patrício; Abel, Tonel, Gladstone (Pereirinha, 69 m), Grimi (Tiuí, 76 m), Miguel Veloso, João Moutinho, Izmailov (Yannick Djaló, 61 m), Romagnoli, Simon Vukcevic e Liedson.
Treinador: Paulo Bento.
Suplentes não utilizados: Tiago; Adrien Silva, Ronny e Farnerud.
Disciplina: Nada a assinalar.
Golos: Nada a assinalar.

Rangers: McGregor; Broadfoot, Cuellar, Dailly, Papac, Hemdani, Thomson, Davis, Ferguson, McCulloch (Whittaker, 77 m) e Darcheville (Davis, 71 m).
Treinador: Walter Smith.
Suplentes não utilizados: Alexander; Boyd, Nacho Novo, Burke e Naismith.
Disciplina: Cartão amarelo para Thomson (48 m), Broadfoot (58 m) e McCulloch (69 m), Ferguson (81 m) e Papac (84 m).
Golos: Darcheville (60 m) e Whittaker (90 m).



AVALIAÇÕES À PRESTAÇÃO DE ROMAGNOLI:



• "Apareceu pouco, excepto de bola parada. O primeiro livre (18') deu para Liedson atirar ao poste. Pouco, quando se esperava que pudesse fazer a diferença." -  in Record.

• "Apático no começo, muito por mérito da oposição, subiu de rendimento no segundo período, ainda que a espaços. Logrou algumas penetrações na área escocesa quando buscou o entendimento com "Vuk", mas pouco mais fez de assinalável." - in O Jogo

• "Converteu, de forma perfeita, o livre que levou Liedson a cabecear ao poste (18'). E... pouco mais. Perdido entre a esquerda, a direita e o meio, nunca conseguiu acertar nem o passo, nem os passes." - in A Bola


DECLARAÇÕES NO FINAL DO JOGO:


Frontal como sempre, Leandro Romagnoli não se coibiu de afirmar que rubricou uma perfomance abaixo do rendimento normal e foi mais longe - a derrota frente ao Rangers pode ter efeitos negativos que os leões tentarão contornar.
"Não entrámos bem na partida, com o adversário a apresentar melhor postura e a beneficiar de uma troca de bola mais eficaz. No entanto, após o intervalo, a nossa produção ofensiva aumentou, falhámos algumas oportunidades e o Rangers acabou por aproveitar bem num lance de contra-ataque", começou por advogar o argentino, completando: "Sim, reconheço que não fiz uma boa exibição, mas o futebol é assim, há jogos que saem melhor do que outros... Todavia, não posso dizer que foi por falta de vontade nem por cansaço físico."
"A ponta final da temporada será mais complicada porque estávamos a atravessar um grande momento na Taça UEFA e acabámos por ser eliminados... Temos de olhar em frente, esquecer a derrota e apontar baterias para os objectivos que restam - chegar ao 2º lugar da Liga e à final da Taça de Portugal", comentou em relação às últimas semanas de competição, sem enunciar qualquer preferência entre provas: "A ansiedade nas próximas partidas pode aumentar porque já perdemos a final da Taça da Liga e este jogo na UEFA... agora não nos podemos dar ao luxo de escolher entre competições e temos de atingir os dois objectivos."

In: Record


publicado por Filipa às 16:25
link do post | comentar | favorito