Sexta-feira, 7 de Março de 2008
Sporting com meio pé nos quartos da UEFA.


CRÓNICA:
O Sporting foi esta quinta-feira empatar a Bolton e traz um bom resultado para a segunda mão dos oitavos de final da taça UEFA que vai decidir no seu estádio. Os leões jogaram como que a dois tempos. Num primeiro, praticamente nada; num segundo mostraram que são superiores se quiserem.

A equipa de Paulo Bento começou muito abaixo daquilo que já mostrou esta época que pode fazer, o Bolton jogou aquilo que sabe; que não é muito. Mas a equipa inglesa já eliminou o bem mais cotado At. Madrid e enfrentar os leões não será um susto para a equipa de Vaz Té. Apenas um desafio.

O Bolton aceitou-o e tornou-se mais ousado pouco depois de ver que o Sporting só atacaria mesmo pela (muito certa) e passou a jogar com Davies mais junto de Helguson para uma linha ofensiva que passou de quatro mais um para três mais dois. E, sim, a aproveitar o tal futebol directo, com muitos lançamentos para a frente.

Essa ousadia foi premiada, pois bem, em mais uma bola parada fatal para a equipa portuguesa. Parece que agora é normal todos tremerem quando algo do género se aproxima e, numa em várias tentativas, os ingleses ganharam o lance em zona de risco e McCann inaugurou o marcador...

A meio do primeiro tempo, os leões ficaram a perder e ainda não tinham acertado na baliza. Moutinho quase marcou, mas saiu ao lado, e o primeiro remate que obrigou Al Habsi a uma defesa foi de Pererinha, já em cima do intervalo. O leão demorou a acordar.

E nem com o intervalo despertou, Paulo Bento estava atento e mandou entrar logo Romagnoli, mas o Bolton ainda podia ter dilatado a vantagem. A trave de Rui patrício devolveu a bola. Polga cortou, em duas situações seguintes, outros dois lances de muito perigo quando o jogo começava finalmente a ser dividido.

Mas nesta altura a organização de Moutinho já começava a ser compensada com a agressividade de Romagnoli e Simon também mostrou em Inglaterra a garra que tem exibido em Portugal. A partida começou a inclinar-se para o lado da equipa portuguesa, o argentino deu o abanão de que necessitava o Sporting. Uma arrancada pela esquerda terminou com a bola na trave do Bolton. Dois minutos depois o golo do empate por Simon Vukcevic. Finalmente o Sporting estava libertado das grilhetas que parece que a equipa colocou a si própria e que demorou a rebentar.

Mas rebentou, foi à procura do empate, empurrou o Bolton até consegui-lo e tratou de ser adulta a conservar tão importante golo fora para o embate decisivo. E, agora, já sem medo das bolas paradas.

In: Maisfutebol


FICHA DE JOGO:
Bolton: Al-Habsi; Hunt, Andy O'Brien, Cahill e Gardner; Ivan Campo (Teymourian, 85 m); Joey O'Brien (Guthrie, 67 m), Davies, McCann e Taylor; Helguson (Giannakopoulos, 55 m)
Treinador: Gary Megson.
Suplentes não utilizados: Walker, Meité, Samuele, Vaz Tê
Disciplina: cartão amarelo a Joey O’Brien (21 m) e Mc Cann (55 m)
Golos: McCann (24 m)

Sporting: Rui Patrício; Abel
(Romagnoli, 45 m) , Polga, Tonel e Grimi; Miguel Veloso, João Moutinho, Pereirinha e Izmailov (Gladstone, 85 m); Vukcevic e Rodrigo Tiuí (Adrien, 79 m)
Treinador: Paulo Bento.
Suplentes não utilizados: Stojkovic, Pedro Silva, Purovic, Farnerud.
Disciplina: cartão amarelo a Grimi (82 m)
Golos: Vukcevic (69 m)



AVALIAÇÕES À PRESTAÇÃO DE ROMAGNOLI:



• "A sua entrada após o intervalo teve o condão de transmitir maior criatividade e profundidade ao jogo ofensivo, muito previsível até aí. De tal modo que se pode falar de um Sporting antes e depois de Romagnoli. Este jogou sempre mais perto da dupla de avançados do que Moutinho na 1ª parte, e com a bola nos pés criou problemas aos defesas ingleses duros de rins, em particular o lateral-direito, Hunt, para cuja zona o argentino descaiu amiúde. De onde, de resto, aos 68', derivou para o meio e dali executou remate que levou a bola a embater na barra." - Eleito "O melhor jogador em campo", in Record.

• "Entrou ao intervalo para trazer imaginação e maior mobilidade ao ataque verde e branco. Aos 68', desenhou uma diagonal na quina da área e acertou na trave da baliza inglesa, ajudando o conjunto a atrever-se." - in O Jogo

• "Entrou cheio de vontade, ocupando a posição atrás dos avançados, sempre em constante movimentação. Quando parecia perder algum fôlego, sacou do livro de jogadas e, pela esquerda, quase marcava (68'). Com ele o ataque do leão passou a ser mais esclarecido. O empate também se deve a ele." - in A Bola

• "Entrou para abanar o jogo. Consegui-o enchendo com agressividade o que faltava ao ataque leonino. Abanou mesmo a trave do Bolton com um remate e foi o sinal de que o Sporting estava para chegar ao golo. O que Simon fez dois minutos depois." - in Destaques do Maisfutebol


DECLARAÇÕES NO FINAL DO JOGO:
Romagnoli voltou a ter ontem um papel fundamental na equipa. O argentino entrou ao intervalo e participou em toda a segunda parte, curiosamente o melhor momento do Sporting. Ausente com o Benfica devido a problemas físicos, Romagnoli garante, que, agora, aproxima-se da sua melhor condição. «Infelizmente, não estava bem para ajudar a equipa contra o Benfica, mas agora estou bem melhor. Estou de volta!», atirou, bem disposto, enquanto destacou a reacção da equipa quando estava em desvantagem: «Foi muito importante e, com essa reacção, chegámos ao empate. Marcámos e soubemos aguentar
O médio argentino falou também do interesse do Valência. «Não há nada com o Valência. São apenas notícias. Estou muito bem no Sporting e a minha família gosta muito de Portugal», disse.



publicado por Filipa às 14:30
link do post | comentar | favorito