Segunda-feira, 3 de Março de 2008
O derby dos empatas.


CRÓNICA
:
O derby acabou empatado. Deixou tudo na mesma na luta pelo segundo lugar e pelo acesso à Liga dos Campeões. O resultado acaba por ajustar-se, apesar de o Benfica ter dado a entender, em alguns momentos, que tinha tudo sob controlo. Pelo menos até à expulsão de Nélson. Algo exagerada.

Estranha letargia. Vukcevic esticara-se todo, na passada, para chegar primeiro que Edcarlos e Katsouranis e surpreender Quim. O arranque de Moutinho, escassos segundos antes, deslocara Tiuí para a esquerda e o brasileiro acertara o cruzamento para cair pouco para lá do primeiro poste. Inofensivo. Pelo menos foi o que pensaram os dois centrais do Benfica, demasiado crentes perante um rival de alto risco como o montenegrino-goleador. O guarda-redes ainda tocou na bola durante o voo possível, aquele que o curto tempo de reflexos lhe permitiu ter. Nada a fazer. O Sporting entrava a ganhar, aos 11 minutos.

Os encarnados pareciam tranquilos. Como se o golo estivesse no programa, como se fosse algo que todos esperassem e contra o qual o antídoto já era conhecido antes de acontecer. A bola voltou ao meio, e o jogo recomeçou como se estivesse 0-0. O meio-campo do Benfica trocava a bola com maior ou menor dificuldade, com mais ou menos passes errados. Subitamente, o filão entre Nélson e Edcarlos esgotou-se, com o central brasileiro a acertar com a movimentação do montenegrino e Rodríguez, agora à direita, a ajudar Nélson mais que Di María. Os leões apenas a espaços iam chegando perto de Quim.

Quinze minutos depois do golo dos homens de Paulo Bento, o Benfica continuava calmamente a fazer o seu jogo. Com Rui Costa mais presente, e as alas invertidas - Di María começou na direita e Rodríguez no outro lado - os encarnados ganhavam confiança com a passagem do tempo e até ao final dos primeiros 45 minutos tiveram a partida sob controlo. Patrício fez a primeira grande defesa a remate de Rui Costa (27), Rodríguez faz a bola passar a centímetros do poste esquerdo (35) e, por fim, aquele pé direito fantástico do «dez», num canto, faz a bola encontrar Cardozo livre de Tonel para o primeiro golo de cabeça do paraguaio na Liga. O Benfica empatava com naturalidade, sem ter feito grande pressão, como se também estivesse previsto.

A segunda parte começou como se fosse o início do encontro. Com o Sporting de novo em cima do rival e a fazer tábua rasa do 1-1 e do que tinha acontecido antes do apito para o intervalo. A dupla Edcarlos e Katsouranis era obrigada a cortes em esforço, Binya e até Cardozo foram vistos a ajudar lá atrás. O grego viu mesmo um amarelo bem cedo, aos 53, depois de Edcarlos lhe ter imposto o derrube a Moutinho por não ter querido ir ao choque com o capitão. A pressão acentuou-se e os protestos subiram de tom quando Vukcevic caiu na área, depois de o mesmo Léo que o derrubou ter sido derrubado junto à linha lateral, criando o tal desequilíbrio na defesa do Benfica (60). Paraty mandou seguir das duas vezes. Mal das duas.

Poucos minutos depois de começar a aquecer, Makukula regressou ao banco, dando indícios de que não estava bem. Mantorras e Adu eram as opções que restavam. Mas foi Paulo Bento, a vinte minutos do fim, com Izmailov apagado e um ataque algo desgarrado, o primeiro a mudar. Saiu o russo, entrou Celsinho. Pelo meio, Quim negou o golo a Tiuí (70) e o Benfica voltou a assenhorar-se do meio-campo dos leões. Camacho também não esperou mais. Lançou Sepsi para o lugar de Di María. No entanto, pouco depois, Nélson foi expulso - mais aparato que intenção - e Maxi teve de fazer o lugar.

Bento acabou para fazer o mesmo do outro lado, mas com vantagem numérica. Pereirinha recuou, Abel saiu para aumentar o poder de fogo com Purovic. Adivinhava-se o chuveirinho e Quim ia finalmente suar. A emoção ia durar até ao último segundo. Mas tudo ficou como antes. Ou quase. Já que o golo de Cardozo dá vantagem no confronto directo.

In: Maisfutebol


FICHA DE JOGO:
Sporting: Rui Patrício; Abel (Purovic, 77 m), Tonel, Polga e Grimi; Miguel Veloso, Bruno Pereirinha, Izmailov (Celsinho, 69 m) e João Moutinho; Rodrigo Tiuí e Vukcevic.
Treinador: Paulo Bento.
Suplentes não utilizados: Stojkovic, Ronny, Adrien Silva, Farnerud e Glastone.
Disciplina: cartões amarelos a Abel (60 m), Gladstone (61 m), Grimi (62 m) e Purovic (90 m).

Golos: Vukcevic (10 m).

Benfica: Quim; Nelson, Edcarlos, Katsouranis e Leo; Bynia, Maxi Pereira, Cristian Rodriguez (Zoro, 87 m), Di Maria (Sepsi, 74 m) e Rui Costa (Luís Filipe, 90 m); Cardozo.
Treinador: António Camacho.
Suplentes não utilizados: Butt, Mantorras e Makukula.
Disciplina: cartões amarelos a Katsouranis (52 m) e Binya (67 m). Cartão vermelho a Nelson (75 m).
Golo: Cardozo (40 m).



AVALIAÇÕES À PRESTAÇÃO DE ROMAGNOLI:

• A contas com uma uma entorse no joelho direito, Romagnoli não foi convocado por Paulo Bento para o derby lisboeta.


publicado por Filipa às 22:11
link do post | comentar | favorito