Segunda-feira, 5 de Novembro de 2007
Sporting goleia Naval (4-1) e afasta os ventos da crise.


CRÓNICA:
O Sporting venceu a Naval (4-1), num jogo em que Liedson voltou a ser decisivo, marcando o seu centésimo golo (61 m), expulsando Taborda e participando em mais dois golos. Os restantes remates certeiros foram conseguidos por João Moutinho (9 m), Vukcevic (84 m) e Gladstone (90 m).


O Sporting procurou o golo desde o apito inicial, com Izmailov, aos cinco minutos, a dar o «primeiro aviso», que João Moutinho concretizou quatro minutos depois, na sequência de um remate de pé esquerdo após ressalto resultante de um remate seu com o outro pé.

Surgiu a Naval, com a equipa figueirense a crescer no campo e a rondar a baliza de Stojkovic. Saulo, aos 15 minutos, rematou por cima, e Diego empatou, ao cabecear para o fundo das redes «verdes e brancas» na sequência de um livre lateral.

Restabelecida a igualdade, o Sporting voltou a mandar no jogo até ao intervalo, com uma grande penalidade a não ser assinalada sobre Liedson (36 m). Na segunda parte, o Sporting instalou-se, em definitivo, junto da área adversária, com a Naval a responder através de contra-ataques e em lances de bola parada, onde chegou a enviar uma bola ao poste. Até que, à passagem da hora de jogo, surgiu Liedson, que «inventou» um dos seus melhores golos com a camisola do Sporting – e já vão 100 – num remate de pé esquerdo de fora da área, após trabalho individual. Quatro minutos depois, o avançado brasileiro roubou a bola a Taborda dentro da área, obrigando o guarda-redes figueirense a fazer falta e ser expulso, mas João Moutinho falhou a respectiva grande penalidade.

Em vantagem numérica e no marcador, a equipa de Paulo Bento teve mais espaço – Ulisses Morais colocou a defesa em igualdade numérica - com Liedson, num pontapé de bicicleta a voltar a estar perto do «golo da tranquilidade», que surgiu aos 84 minutos, através de Vukcevic, na recarga a um remate de Liedson, que iniciara o movimento atacante com um passe para Ronny, de onde saiu o cruzamento.

Nos descontos, outro recém-entrado, o brasileiro Gladstone, marcou o seu primeiro golo com a camisola do Sporting, com a bola a encontrar o seu corpo após forte remate de Romagnoli ao poste, na sequência de um pontapé de canto, conquistado por Liedson.

In: Sporting.pt


FICHA DE JOGO:
Sporting: Stojkovic; Abel, Polga, Tonel (Vukcevic, 55 m) e Ronny; Miguel Veloso, João Moutinho, Izmailov (Pereirinha, 85 m) e Romagnoli; Purovic (Gladstone, 72 m) e Liedson.
Treinador
: Paulo Bento.
Suplentes não utilizados: Rui Patrício, Paredes, Yannick, e Farnerud.
Disciplina: cartões amarelos a Polga (26 m) e Liedson (33 m).
Golos: João Moutinho (9 m), Liedson (61 m), Vukcevic (84 m) e Gladstone (90 m).

Naval 1.º de Maio: Taborda; Mário Sérgio, Paulão, Diego e China; Gilmar, Delfim (Lopes, 78 m) e Davide; João Ribeiro (Wilson Júnior, 68 m), Saulo e Marcelinho (Hugo Santos, 45 m).
Treinador: Ulisses Morais.
Suplentes não utilizados: Bruno, Dudu, Eanes, Hugo Santos e Gaúcho.
Disciplina: cartão vermelho a Taborda (66 m).
Golo: Diego (27 m).


AVALIAÇÕES À PRESTAÇÃO DE ROMAGNOLI:



• "Está cada vez mais à vontade no comando das acções de ataque. Cobre toda a frente de ataque, combina bem com Liedson e os homens que entram pelos flancos e tem ainda acerto no remate. Aos 44' e 58' podia ter feito golo, mas Taborda esteve melhor; e sobre o apito final atirou ao poste, acabando por ser Gladstone a fazer o 4-1 no ressalto." - in Record.

• "Sabe colocar a equipa a jogar, cria brechas na defesa contrária, e a sua capacidade de improvisação é uma arma que atemoriza o adversário. Em duas situações, esteve perto do golo (58' e 90'+4'), mas Taborda, primeiro, e o poste, depois, negaram-lhe a alegria." - in O Jogo

• "O pensador. Cerebral e com excelente sentido de desmarcação, foi o responsável pela maioria dos desequilíbrios. Dos seus pés qualquer lance pode ter sequência. Obrigou Taborda à defesa da noite (57') e viu o poste negar-lhe o merecido golo (90+3'). - in A Bola


publicado por Filipa às 22:06
link do post | comentar | favorito